Notícias

Campanha de alerta para o tratamento da Incontinência Urinária


O problema é caracterizado pela perda involuntária da urina, afetando 20 milhões de pessoas no País.
Pode provocar o isolamento social e depressão.

Diagnóstico
Começa com a investigação clínica do paciente identificando-se os sintomas. Exames complementares como a urodinâmica servem para se chegar a um diagnóstico definitivo.

Por que é provocada?
Pelo desgaste e perda do tônus muscular na região pélvica. No caso da incontinência de esforço ou por uma hiperatividade da bexiga, quando a Incontinência Urinária de Urgência está associada à bexiga hiperativa.

Tipos de incontinência urinária
Pode ser por esforços, em que o paciente perde urina sempre que tosse, espirra, faz exercícios físicos etc, e quando está relacionada à bexiga hiperativa.

Tratamentos
Inicialmente, pode-se começar pela mudança do estilo de vida e fisioterapia no assoalho pélvico. Nos casos de Bexiga Hiperativa, pode-se utilizar medicamentos, fisioterapia e, em caso de falha (bexiga hiperativa refratária) com o uso de toxina botulínica ou implante de um marca-passo da bexiga, chamado de neuromodulação sacral.

Nos pacientes com perdas de urina associadas a esforços, em que não houver recuperação, ou naqueles pacientes que não desejem fazer fisioterapia, recomenda-se o tratamento cirúrgico. Este tratamento pode ser realizado com o implante de slings. Em homens com Incontinência de Esforço leve pode-se tentar o sling e, em casos mais intensos ou esfíncter artificial.

 

Público