Notícias XV Congresso Paulista de Urologia - 2018

SBU-SP apoia o primeiro grupo de estudos latino-americano de litíase

Grupo formado por especialistas brasileiros e internacionais tem como objetivo reunir informações e dados da região para oferecer melhorias no tratamento e sobrevida para pacientes portadores da doença no América Latina


Acontece, em São Paulo, o I Encontro de Litíase e Cirurgia Minimamente Invasiva da América Latina, durante o XV Congresso Paulista de Urologia, considerado o terceiro maior evento no mundo da especialidade, atrás do Americano e Europeu.
A iniciativa, que também consiste na formação de um grupo inédito de estudos, é conduzida pelo urologista João Amaro, professor titular de Medicina de Botucatu – UNESP e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo, e por médicos brasileiros e internacionais.

“A proposta tem unicamente o interesse em levantar dados para a pesquisa e novos parâmetros que ofereçam o melhor tratamento aos nossos pacientes. O intuito desse grupo é a produção de ciência, informações que orientem o médico na tomada de decisão, sem política e conflitos de interesse. Queremos, cada vez mais, oferecer sobrevida e qualidade de vida. A América Latina, agora, fará parte desse achado científico”, afirma Amaro.

Conhecida popularmente como “pedras nos rins”, a litíase pode ser considerada um problema se saúde pública, pois afeta cerca de 8% da população no Brasil, e registrou um aumento de casos de 20% nos últimos 10 anos, com incidência predominante em homens na faixa de 30 a 45 anos, porém a doença também atinge mulheres e crianças. Os principais sintomas geralmente são cólica renal e desconforto acentuado na região lombar, acompanhada de náuseas e vômitos, ardor ao urinar, aparecimento de sangue na urina em alguns casos, entre outros.

É considerada uma doença moderna e seu aparecimento está relacionado à ingestão exagerada de cálcio e produtos industrializados, além do fator genético, diabetes elevada, maus hábitos alimentares, entre outros fatores. “Esse encontro é muito importante para a Urologia e tenho certeza que determinará novas e ampliadas diretrizes para o exercício da profissão e da prática na América Latina”, diz o Dr. Flavio Trigo, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo.

Problema de Saúde Pública

É importante considerar os custos gerados aos cofres públicos com as internações realizadas por litíase. Com um gasto aproximado de cerca de R$ 29,2 milhões ao ano. Nos Estados Unidos, por exemplo, cresceu em 70% os casos da doença registrados nos últimos 15 anos, acometendo cerca de 2,2 milhões de pacientes, representando um custo de US$ 2 bilhões de dólares.

Para o Dr. Mariano Sebastian Gonzales, diretor do Hospital Italiano de Buenos Aires, da Argentina, e que é um dos integrantes do grupo de estudos, diz que é importante formar um consenso, fortalecer a união de um grupo regional, que compartilham dos mesmo costumes e peculiaridades. Segundo ele, é necessário a concordância da comunidade médica para se chegar a um parâmetro de tratamento, de acordo com as características dos pacientes, e não guiados meramente por alinhamentos e padrões internacionais que, muitas vezes, não comungam das mesmas características locais.

“Sempre trabalhamos com um guia determinado vindos de países europeus e norte-americanos, com um recorte de pacientes com perfis totalmente diferentes dos nossos. Até então, não tínhamos a oportunidade de trabalhar com dados latino-americanos, considerando que a nossa geografia, cultura e costumes são parecidos”, pontua Gonzales.
Entre os médicos que participam do grupo de estudos latino-americanos estão Oscar Eduardo Fugita, Murilo Ferreira de Andrade, Marcelo Baptistussi, João Luiz Amaro, Fernando Marchant Gonzales do Hospital Clínico do Chile, José Gadú Campos Salcedo, especializada em cirurgia robótica e Endourologia do México e Mariano Sebastian Gonzalez, diretor Médico do Hospital Italiano de Buenos Aires, da Argentina.

A SBU-SP

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) é uma entidade médica, com 90 anos de fundação, que congrega mais de 4.500 mil médicos associados em todo o País, sendo 30% relativos ao Estado de São Paulo. Sem fins lucrativos, representa os profissionais da especialidade de Urologia clínica e cirúrgica, responsável pelo diagnóstico e pelo tratamento das enfermidades do sistema urinário, de ambos os sexos, e do sistema genital masculino. Realiza desde 2004 campanhas anuais de conscientização do câncer de próstata para aumentar a sobrevida de pacientes acometidos pela doença.


Público